Dia Mundial do Aleitamento Materno

mama

Sobre o “mamá” de todos os dias
No Dia Mundial Do Aleitamento Materno!

1 de Agosto – Dia Mundial do Aleitamento Materno

O conhecimento sobre sua importância dá energia à mãe para insistir no aleitamento, quando tudo no início pode parecer ser tão difícil! Nestes casos, sugiro buscar ajuda e temos uma equipe na Saúde prontinha para isso: Pediatras, Enfermeiros (em especial aos atuantes nos Bancos de Leite), Nutricionistas e nós, Fonoaudiólogos.

Mas, e quando o bebê tem fissura labiopalatina?

Às mamães de bebês com fissura labial isolada (sem afetar o céu da boca), na maioria das vezes a dificuldade inicial é rapidamente solucionada com o ajuste da posição da dupla mamãe-bebê durante as mamadas.

Às mamães de bebês com fenda palatina (quando o céu da boca tem uma abertura), sabemos que a dificuldade é maior e, por vezes, necessário utilizar e adaptar utensílios, como a mamadeira. Ok, então vamos adaptar! Porque o importante é o bebê receber o leite que a mamãe tem, cheio de amor e prontinho para nutrir o pequeno! Nestes casos, uma importante alternativa para manter o aleitamento materno é realizar a ordenha de seu leite para oferecê-lo ao bebê por mamadeira (ou o utensílio que ele melhor se adaptou).

Às mamães, meus parabéns pelo dia de hoje!

Às mamães de crianças com fissura labiopalatina, meus parabéns e minha admiração, pela superação à cada mamada!

Com carinho,

Daniela Barbosa
Fonoaudióloga

Confissura: Lucila Oliveira

lucila oliveira

“Eu sou Lucila Oliveira, moro na cidade de Parelhas -RN tenho 44 anos, nasci com lábio leporino e fenda palatina . Não tive oportunidade de fazer as cirurgias devido morar no interior e por tudo ser difícil já que nasci no ano de 1969, tudo foi difícil para mim. Fiz a 1ª cirurgia na capital do RN em 1972 no navio estrangeiro. Apenas fechou o lábio e até hoje ainda tenho a fenda palatina aberta. O tempo passou, minha mãe faleceu muito jovem e eu fiquei em um mundo com poucas oportunidades. Cresci e fui vítima de muitos preconceitos ( mas como sou uma pessoa de perseverança e auto estima elevada ganhei espaço na sociedade e sou muito querida na minha cidade.) Com toda vivencia de risos, insultos na escola o qual hoje considero bullyng, não desisti dos meus objetivos de vida. Hoje sou formada em Pedagogia pela UFRN e faço pós graduação em Direitos Humanos.
Infelizmente devido a um erro de laboratório perdi de fazer a cirurgia da fenda palatina no ano de 2011 com os americanos da Califórnia que vieram na capital. As chances para adultos são poucas uma vez que, a prioridades são as crianças. Gostaria de fazer uma correção de desvio sépto em um projeto feito pelo um cirurgião plástico, infelizmente não consegui ser parte do projeto. Devido ao problema do nariz ainda ser aberto devido a fenda, sempre tive problemas de voz, respiratórios e de audição a qual já está um pouco comprometida. Tenho uma filha de 19 anos e ela não nasceu com o problema. Mesmo com a idade avançada ainda quero fazer a cirurgia de correção do palato e sonho com a correção dos dentes uma vez que a gengiva colocou desigual.Vivo batalhando e como não sou mulher de desistir dos objetivos, vou a luta. A dificuldade é porque o aparelho dentário só com um especialista e aqui na região não tem quem coloque em uma fissurada.
Aqui vou finalizando minha história de vida, me considero uma mulher guerreira , tenho uma inesgotável incapacidade de desistir. Sempre sem perder a Esperança!
” ♫ ♫ Viver e não ter a vergonha de ser feliz, cantar e cantar e cantar a beleza de ser um eterno aprendiz … ♫ ♫ é bonita, é bonita e é bonita……”